Love Death + Robots parte 2 - Review + Episódios Ranqueados

Há uma semana Love Death + Robots retornou em sua segunda temporada na Netflix. A animação de David Fincher e Tim Miller nos encheu de êxtase na sua estreia em 2019 então as expectativas estavam bem altas. Com apenas oito episódios a segunda temporada é rápida de maratonar, mas infelizmente ao meu ver não conseguiu chegar aos pés da primeira. 

Apesar de ter curtido muito, e de trazer um show de técnica de animação e roteiro me veio um vazio. Ela surpreende, choca e nos deixa presos à tela, mas acabei a temporada com um sentimento de que faltava algo. Entretanto se eu disser que foi ruim eu estarei mentindo absurdamente para vocês. Com enredos mais sombrios mais uma vez Love Death + Robots mostrou o porquê de ser uma animação tão aclamada, apesar dos pesares.

Quem assistiu sabe que cada episódio é uma história diferente, com estúdios de animação diferentes e propostas diferentes. Pensando nisso, deixo aqui meu ranking de episódios, do que eu menos gostei até o meu favorito.


8° - Gaiola de Sobrevivência

Protagonizado por Michael B. Jordan, o episódio conta a história de um piloto espacial que encontra um abrigo após complicações de voo. O que ele não esperava é que dentro de um lugar que deveria ser seguro, ele está muito mais ameaçado.

O episódio tem uma animação espetacular, parecia até mesmo uma live action com o Michael B. Jordan de verdade ali. Além disso, ele cumpre muito bem a proposta: Deixa o espectador imerso na tensão que cerca o protagonista. É impossível desgrudar os olhos da tela e torcer pra que fique tudo bem no final. Entretanto, mesmo com a tensão, o nervosismo e toda a atenção captada ele quase beira a monotonia em alguns momentos.


7° - Grama Alta

Aqui temos uma animação mais 2D com uns toques bem cartunescos. A história começa com uma viagem de trem que é interrompida de repente. Um dos passageiros então decide sair para fumar e explorar o gramado bastante alto que cerca os trilhos, apesar dos conselhos do maquinista para que ele retorne para o trem. Acontece que seu simples passeio se torna uma situação bizarra e agora ele precisa correr por sua vida.

A estética do episódio em si puxa muitas referências a grandes escritores antigos, é algo bastante sutil, mas eu achei bastante genial. A primeira parte do episódio caminha muito bem e o plot twist é apresentado de ótima forma, mas o segundo ato parece um pouco rushado e com muitas questões em aberto, mesmo que a intenção de Love Death Robots seja justamente trazer situações que nos encham de dúvidas.


6° - Atendimento Automático ao Cliente

Para mim foi o episódio mais satírico e com um humor ácido já característico da série. Também é o que nos traz mais a temática robótica. Em um futuro totalmente automatizado com robôs fazendo tudo para nós você já pensou no que aconteceria se seu aspirador de pó tentasse te matar? 

Um episódio bem no estilo de revolução das máquinas, com toques de humor e, ao meu ver, uma crítica social a respeito da dependência cada vez maior de serviços automatizados. Além disso, também tem uma sátira bastante marcante a respeito dos serviços de telemarketing. É um bom episódio, e escala de uma ótima maneira até seu final.


5°- Pela Casa

Quem aqui nunca tentou ficar acordado de madrugada para tentar pegar o papai noel no flagra, não é mesmo?? Este é o plano dos nossos jovens protagonistas e sim, eles conseguem, mas a verdade sobre o bom velhinho é bem mais chocante.

Com uma animação muito bem feita, “Pela Casa” é o episódio que mais entrega aquela boa bizarrice que não pode faltar em Love Death + Robots. O defeito é o mesmo de “Grama Alta”: a urgência em finalizar o episódio, o que o deixou um pouco rushado. Apesar disso, eu curti bem mais essa história, sem falar que o plot twist sobre o papai noel foi muito mais impactante.


4° - Snow no Deserto

Na minha opinião esse foi um dos episódios mais equilibrados e o que mais traz uma marcação de início, meio e fim para sua história. O episódio é protagonizado por Snow, um humano em outro planeta, que luta por sua sobrevivência por muito, muito tempo. E agora os caçadores de recompensa estão atrás dele.

Para mim esse foi o episódio com mais ação, cenas de luta muito boas e aquela violência típica de Love Death + Robots. A história do episódio é muito bem construída e a animação é impecável.


3° - O Gigante Afogado

Talvez essa posição no ranking seja a mais contraditória, se comparada a outras listas que vi por aí. Mas "O Gigante Afogado” foi o episódio que mais me deixou imersa no roteiro, é de fato um episódio muito mais parado do que os anteriores, mas foi justamente isso que me encantou. 

O episódio é a respeito do corpo de um gigante que foi encontrado em uma praia e todo o fascínio que ele desperta nos moradores dali. É um episódio quase 100% em monólogo e nos convida a reflexões bastante existencialistas sobre o paralelo entre a vida e a morte. É um episódio bastante simples e que nos faz pensar.


2° - Gelo

Mais um episódio em 2D com um design único e muito marcante. Aqui temos uma família da terra em uma colônia extremamente fria habitada por humanos modificados. Dois irmãos, um modificado e um comum (chamado de extro) embarcam em um passeio noturno com outros jovens modificados, em busca de ver um espetáculo natural muito belo, mas arriscado. 

“Gelo” é um dono de um belíssimo visual e com uma história bastante estruturada. Podemos ver uma relação de fraternidade muito bonita entre dois irmãos, mesmo sendo tão diferentes. Além disso, o episódio nos leva a uma reflexão sobre desigualdade.


1° - Esquadrão de Extermínio

Acho que existe praticamente um consenso sobre “Esquadrão de Extermínio” ser o melhor episódio dessa temporada. Nele conhecemos um futuro onde a terra está prestes a um colapso devido a superlotação. É possível obter a vida eterna nos céus, ou viver de forma extremamente precária no solo. Além disso, é ilegal ter filhos, e para aqueles que infringem essa regra a pena é severa e as crianças são eliminadas pelo esquadrão de extermínio. Temos como protagonista um policial atormentado pelo seu trabalho no esquadrão e entra em um dilema moral sobre até onde ele está fazendo a coisa certa.

Eu, sem sombra de dúvida, assistiria uma temporada completa, ou um filme sobre a trama desse episódio. A história impacta e envolve. É cercada de contrastes entre a vida luxuosa nos céus e a miséria no solo. Eles conseguiram expor muito bem o dilema do protagonista, além de nos envolver em debates sobre desigualdade e o futuro do planeta.




Se você ainda não assistiu a nova temporada, ou nunca viu nem a primeira, eu te convido fortemente a assistir. Vocês encontram as duas temporadas lá na Netflix, e pros fãs uma notícia boa: Love Death + Robots já foi renovada para mais uma temporada.




Postar um comentário

Copyright © Bunker Nove. Criação OddThemes Designer Marcio Oliveira Designer