RESENHA | WandaVision terminou simples porém épico





O luto é uma dor que precisamos aprender a lidar.

Em meio a diversas teorias tivemos nada mais que a verdade em que a gente se negava a aceitar. Nada de uma luta gigante com efeitos mágicos ou Dr Estranho pairando por WestView, não, porque a jornada era da Wanda que teve um começo e talvez um fim.

Me tocou profundamente a ela ter que se despedir do seu grande amor, sua família.  A Marvel encaixou a série no momento certo e na hora certa. Imagina quantas pessoas nesse momento estão passando por algo do tipo que agora mal conseguem lidar com o luto?

Pois bem Wanda nos ensina que nem tudo em nossa vida nem tudo pode ser perfeito ou completo e precisamos viver, muitas das vezes, em pedaços para, aos poucos, nos reconstruir. E a partir dessa reconstrução que vemos o nascimento da Feiticeira Escarlate mais poderosa e fantástica em seu uniforme de bruxa.

Deixando aberta ainda N possibilidades para o futuro do UCM no espaço, na terra de forma secreta e no multiverso, fazendo se questionar se o real amor dela está por ai apenas esperando o momento certo para voltar. E ainda portas abertas para o retorno de sua, possível, futura metora Agatha Harkness. 

Esse episódio, na verdade toda a série, deve ser olhada com carinho e atenção, porque mostra que todos nós podemos aprender a lidar com nossas perdas e seguir em frente sem machucar o outro ou a si mesmo. 


Postar um comentário

Copyright © Bunker Nove. Criação OddThemes Designer Marcio Oliveira Designer